Publicidades

28/06/2014 | 05:45 | Geral

Afetada pela chuva, Iraí é tomada por corrente de solidariedade

Cidade da Região Norte decretou estado de calamidade pública

Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS


Com pouco mais de 8 mil habitantes e atingida pela chuva desde segunda-feira, Iraí foi tomada por uma corrente de solidariedade nos últimos dias. A maior parte das 1,3 mil pessoas que tiveram de deixar suas casas por causa da enxurrada conseguiu abrigo com parentes e amigos. A cidade da Região Norte decretou estado de calamidade pública.


— O fato de ser uma cidade pequena ajuda. As pessoas vão para casa de um, para casa de outro — conta o vice-prefeito Edson Borges do Canto, também responsável pela Defesa Civil.


Borges estima que há, pelo menos, 350 famílias fora de casa —  o número, no entanto, pode se aproximar de 450. A cheia do Rio do Mel prejudica diferentes pontos do município, que tem problemas de acesso a propriedades rurais.


Nas áreas mais atingidas, o volume de água chega ao telhado de residências, demandando um esforço conjunto de Executivo, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Brigada Militar. A atuação de voluntários também é importante para remoção de pessoas e retirada de pertences.


Na noite desta sexta-feira, o casal de aposentados Wilmar, 72 anos, e Irma Patzlaff, 71 anos, limpava a casa de madeira e alvenaria onde mora há quase três décadas. Restavam poucos móveis nos cômodos: quase tudo tinha sido tirado com o auxilio de amigos e levado a um vizinho para dentro de um caminhão emprestado.


— Moramos aqui desde 1984 e nunca tínhamos visto isso — conta Patzlaff, enquanto aponta para a cheia no rio, que fica a 500 metros de seu pátio e inundou o primeiro piso de sua casa, usado como depósito.


As laranjeiras do pomar foram cobertas pela água marrom, e a antena de TV ficou só com a parte superior à vista. Situação semelhante vivem os vizinhos.


Na quinta-feira, um dos dias mais críticos desde que começou a chuva, dezenas de moradores saíram às ruas oferecendo ajuda para que móveis e eletrodomésticos fossem salvos. O Rio do Mel atingiu um nível de 17,5 metros. 


Conforme balanço da Defesa Civil estadual, há 400 desabrigados (que precisam de abrigo oferecido pelo poder público) e 900 desalojados (estão na casa de conhecidos). No Estado, 4.675 pessoas tiveram de deixar suas casas, em 52 municípios.


Por determinação do governador Tarso Genro, uma comitiva do governo se reunirá com representantes dos municípios em situação difícil na manhã deste sábado. O secretário do Gabinete dos Prefeitos e Relações Federativas do Estado, Jorge Branco, garantiu que as cidades atingidas pelas cheias estão sendo monitoradas e recebem materiais como água potável e kits de higiene.


— Neste primeiro momento, o objetivo é preservar a vida, mas já iniciamos um levantamento dos prejuízos — explicou.

Fonte: Zero Hora

Mais notícias desta categoria

07/04/2020 | 15:06

Juntos somos mais!

Publicidades


Mario Junior designer