Publicidades

28/06/2014 | 09:03 | Geral

Mais de 4,6 mil pessoas seguem fora de casa devido à chuva no RS

Cidades têm alagamentos e estradas são bloqueadas no Norte e Nordeste

Em Iraí, ponte que liga a cidade a Santa Catarina, foi interditada (Foto: Fernando Sucolotti/Divulgação)


Mais de 4,6 mil pessoas seguem fora de casa no Rio Grande do Sul na manhã deste sábado (28) devido à chuva que atinge 52 municípios do Norte e o Nordeste do estado, conforme balanço divulgado às 7h pela Defesa Civil. Os números não tiveram modificação em relação ao levantamento do fim da tarde de sexta (27).


No total, 3.066 moradores da região amanheceram desalojados, enquanto 1.609 estão desabrigados. O Rio Uruguai é o mais afetado pelas cheias.


Durante a tarde de sexta, o órgão recebeu os três primeiros pedidos de decreto de emergência. Os prefeitos de Vicente Dutra, Herval Grande e Barão do Cotegipe solicitaram o procedimento que agiliza a captação de recursos para auxiliar as famílias atingidas.


Em Erechim, no Norte, foram mais de 360 milímetros de chuva em menos de cinco dias, quando a média histórica para todo o mês de junho é de 150 milímetros. Em Santa Catarina, uma barragem se rompeu durante a tarde desta sexta, no Rio Irani. O rio deságua no Rio Uruguai, o que preocupa as autoridades gaúchas.


Em Iraí, na divisa com Santa Catarina, o nível do Rio Uruguai atinge 12 metros acima do normal, perto dos 13 metros acima do normal registrados em 1983. Uma ponte foi interditada. Barcos foram usados para remover famílias. A enchente quase encobriu algumas casas. A prefeitura encaminhou os desalojados para um Centro de Tradições Gaúchas (CTG) da cidade. A Defesa Civil do município estima que cerca de 300 famílias foram prejudicadas pelo temporal.


Em Porto Mauá, o nível do Rio Uruguai já se aproxima de índice histórico de 20,7 metros registrado há 31 anos. A marca era de 18 metros por volta das 16h30, segundo a prefeitura da cidade.


Em São Borja, na Fronteira Oeste, cerca de 50 pessoas foram afetadas pelo mau tempo, de acordo com o Corpo de Bombeiros. O Rio Uruguai subiu 10 metros acima do nornal e invadiu casas e estabelecimentos comerciais do municípios.


Durante a tarde, a chuva parou e os moradores das casas afetadas aproveitaram para retirar móveis e eletrodomésticos de dentro das residências. Algumas pessoas usaram barcos para retirar os pertences. De acordo com a Defesa Civil de São Borja,  pelo menos 15 famílias que moram à beira do rio já saíram das suas casas. A maioria foi para casa de parentes e amigos e outras estão sendo alojadas em centros comunitários.


Veja a lista dos municípios afetados


As cidades atingidas são: Cruzaltense (rio Passo Fundo), Barão do Cotegipe (rios Palomas e Douradinhos), Erechim, Erval Grande (rios Lajeado Grande e Douradinho), Barra do Rio Azul (rio Palmoas), Nonoai (rios Passo Fundo e dos Indios), Caiçara (rio da Várzea), Campo Novo (rio Turvo), Tenente Portela (rio Turvo), Pinheirinho do Vale (rio Uruguai), Iraí (rio do Mel), Frederico Westphalen, Barra do Guarita (rio Uruguai), Esperança do Sul (rio Uruguai), Ametista do Sul, Crissiumal, Vicente Dutra (rio Uruguai), Nova Candelaria (rio Burica), Três de Maio (rio Burica), Porto Vera Cruz (rio Uruguai), Novo Machado (rio Uruguai), Porto Xavier (rio Uruguai), Alecrim (rio Uruguai), Roque Gonzales (rio Uruguai), Doutor Mauricio Cardoso (rio Uruguai), Porto Lucena (rio Uruguai), Porto Mauá (rio Uruguai), Unistalda e São Borja.

Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

07/04/2020 | 15:06

Juntos somos mais!

Publicidades


Mario Junior designer