Publicidades

04/07/2014 | 05:51 | Geral

Após enchente, RS encaminha decreto coletivo de emergência

Pedido foi encaminhado após reunião realizada com prefeitos e ministro

Encontrou entre prefeitos e ministro definiu decreto coletivo (Foto: Fernanda Dreier/Palácio Piratini)


Prefeitos de municípios do Rio Grande do Sul afetados pelas chuvas se reuniram na manhã desta quinta-feira (3) em Brasília com o ministro da Integração Nacional, Francisco José Coelho Teixeira. O encontro definiu o encaminhamento do decreto coletivo de emergência para os municípios que terão situação de emergência homologada pela Defesa Civil na sexta (4). Segundo o último boletim divulgado pelo órgão, 99 municípios do estado foram atingidos pelas enchentes.


O decreto coletivo serve para acelerar a liberação de recursos que possam ajudar os municípios. “Com a solicitação em mãos, podemos também passar a outros ministérios para angariar toda a ajuda possível aos municípios. O que estiver ao nosso alcance, vamos fazer. Estamos trabalhando no limite pra desburocratizar o máximo possível essa liberação de recursos”, declarou o ministro Teixeira.


O secretário estadual do Gabinete dos Prefeitos e Relações Federativas, Jorge Branco, garantiu que o plano de trabalho sobre as próximas ações a serem tomadas, será encaminhado à Secretaria Nacional de Defesa Civil até sexta-feira (04). “As primeiras ações foram para salvaguardar a vida das pessoas e para a construção de um conjunto de ações e serviços para minimização de danos”, complementou ele.


De acordo com informações da assessoria do governo estadual, representantes do governo gaúcho que participaram da reunião ainda cumprem agenda em Brasília com o ministro Chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e nos ministérios do Desenvolvimento Agrário, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e das Cidades.


A forte chuva que atingiu o Rio Grande do Sul na última semana fez com que 15.092 ficassem fora de casa nesta quinta-feira (3), segundo boletim da Defesa Civil divulgado às 11h. No documento das 6h, o órgão informou que 21.928 tinham amanhecido fora de casa nesta quinta, mas o número diminuiu ao longo da manhã.


Pelo menos 1.491 pessoas estão desabrigadas e 13.601 desalojados. O número de municípios atingidos pela chuva passou de 101 para 99. A Região Norte do estado é a mais afetada por causa da cheia do Rio Uruguai. Iraí e Barra do Guarita estão em estado de calamidade pública, e outras 42 cidades declararam situação de emergência.


Pelo menos duas pessoas morreram e uma está desaparecida desde o início das enchentes no Rio Grande do Sul. Na manhã desta quinta, o corpo de um homem de 56 anos desaparecido no último sábado (28) no interior de Arroio do tigre, no Vale do Rio Pardo, Rio Grande do Sul foi encontrado. A mulher dele segue desaparecida, e os bombeiros de Santa Cruz do Sul realizam buscas no Rio Caixão.


Já na manhã de quarta-feira, foi encontrado o corpo de um homem de 40 anos que estava desaparecido desde a sexta (27) no Norte do estado. O corpo foi encontrado pelos bombeiros nas águas do Rio Uruguai a cerca de 2 km do local do desaparecimento em Jacutinga, um dos municípios atingido pelas fortes chuvas no estado.


De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cpetc) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a previsão para a quinta-feira é de chuva forte no Noroeste, Norte e Nordeste do estado, regiões já bastante castigadas por enchentes. Na sexta-feira (4), a chuva deve ser ainda mais intensa do que no dia anterior e se concentrar por grande parte do estado.

Fonte: G1

Mais notícias desta categoria

07/04/2020 | 15:06

Juntos somos mais!

Publicidades


Mario Junior designer