Publicidades

05/07/2014 | 11:38 | Geral

Número de atingidos pelas cheias sobe para 15,8 mil no Estado

Novo relatório divulgado pela Defesa Civil neste sábado informa que há mais afetados no Estado

Enxurrada como a deste ano em Itaqui, na Fronteira Oeste, não era vista no Rio Grande do Sul desde 1983 (Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS)


A Defesa Civil do Rio Grande do Sul informou, na manhã deste sábado, dia 5, que subiu para 15.802 o número de pessoas atingidas por enchentes e enxurradas no Estado. O relatório aponta também que 1.676 continuam desabrigadas – aquelas que necessitam de um abrigo fornecido pelo governo –, e 14.126 estão desalojadas – em casas de parentes e amigos.


O total de municípios em situação de emergência continua 78. Duas cidades, Iraí, no Norte, e Barra do Guarita, no Noroeste, estão em estado de calamidade pública. Segundo a Defesa Civil, o motivo da redução do número de pessoas fora de casa é o retorno de algumas famílias para suas residências após dias de limpeza, principalmente na região Norte.


O órgão afirmou ainda que neste sábado o nível do Rio Uruguai deverá subir na Fronteira Oeste, o que pode causar novos alagamentos na região. A informação é baseada na previsão do tempo para os próximos cinco dias e no relatório do Departamento de Recursos Hídricos do Estado, e foi divulgada no último levantamento da Defesa Civil, publicado às 18h da última sexta-feira.


Em São Borja, segundo o documento, o nível do Rio Uruguai deverá baixar gradativamente a partir de hoje, enquanto em Itaqui e em Uruguaiana, a redução do nível do rio deve iniciar no domingo.


Chuva causou duas mortes e mulher segue desaparecida


A chuva que atinge o Estado já provocou duas mortes, de Eracildo Luiz Assmann, 56 anos, em Arroio do Tigre, e José Lindomar da Silva, 40 anos, em Jacutinga. A namorada de Eracildo, Paula Thom, 23 anos, segue desaparecida. O carro em que o casa estava caiu no rio Caixão, em Arroio do Tigre, na noite do último sábado.


Maior cheia das últimas três décadas


Enxurrada como a deste ano não era vista no Rio Grande do Sul desde 1983, que atingiu cidades como Itaqui, Iraí, São Borja e Uruguaiana.

Fonte: Zero Hora

Mais notícias desta categoria

07/04/2020 | 15:06

Juntos somos mais!

Publicidades


Mario Junior designer