Publicidades

11/04/2019 | 05:31 | Esporte

Grêmio vence o Rosario Central e segue vivo na Libertadores

Jean Pyerre e Leonardo Gomes, duas vezes, marcaram para o Tricolor, que também se beneficiou da derrota da Universidad Católica para o Libertad no Chile

Grêmio conquistou sua primeira vitória na Libertadores 2019 - Jefferson Botega / Agencia RBS


Perfeito. Não tinha como ser melhor. O Grêmio voltou a sonhar com o tetra da Libertadores na noite desta quarta. Venceu o Rosario Central em Porto Alegre por 3 a 1. Ao mesmo tempo, em Santiago, o Libertad aplicou 3 a 2 na Universidad Católica e devolveu ao time gaúcho a chance de só depender de si para se classificar.


Na hora de decidir, Renato Portaluppi mandou a campo o cascudo Diego Tardelli e os solicitados guris Matheus Henrique e Jean Pyerre. O time ficou com Maicon e Matheus nas duas funções defensivas do meio, Tardelli partindo da direita, Jean centralizado e Everton na esquerda. André recebeu chance como centroavante. No Rosario, mais de meio time reserva deixava claro que a Libertadores era laboratório para a Supercopa da Liga Argentina e para a próxima temporada — quando a equipe precisará de uma pontuação alta para não correr riscos de rebaixamento.


Com este cenário, restava ao Grêmio abafar os visitantes. O time tentava criar um ambiente favorável quando, do estúdio da Rádio Gaúcha, Marcos Bertoncello anunciou o gol da Universidad Católica contra o Libertad. Por isso, o primeiro chute a gol, desferido por Everton e salvo pelo goleiro, nem teve tanta reação da torcida. Pouco depois, o mesmo Everton saltou e cabeceou a bola erguida por Maicon. Novamente Ledesma defendeu. 


Uma sequência de ataques do Rosario Central levou perigo ao gol de Paulo Victor e expuseram a estratégia dos visitantes. Em um desses, Herrera até cabeceou, mas o goleiro gremista segurou.


Aos 18 minutos, Everton voltou a brilhar. Pelo lado esquerdo, ele arrancou e enfileirou argentinos e tirou do goleiro. Levou azar, porque sua conclusão passou a centímetros da trave.


O atacante da Seleção de Tite seguia infernizando pelo lado esquerdo. Aos 30, ele partiu para cima de novo e, dessa vez, mudou o plano. Em vez de concluir, serviu. Jean Pyerre apareceu na área, como pediu Renato, e apenas desviou para o gol. Grêmio 1 a 0. A esperança renascia. 


O time mantinha o nível de atuação sem passar apertos. Poderia aumentar a vantagem a qualquer momento. Mas foi, novamente, o radinho que fez diferença. Dessa vez, a favor. Marcos Bertoncello narrou que o Libertad havia empatado.


O ambiente já estava melhor, existia animação. E não é que novamente a Gaúcha explodiu o estádio? A virada do Libertad teve grito ainda mais alto do que o próprio gol de Jean Pyerre. 


A volta do intervalo também foi intensa da parte gremista. Antes dos cinco minutos, Jean Pyerre e Leonardo Gomes haviam criado oportunidades. Aos sete, André arrancou do campo de defesa ao apanhar um rebote de escanteio, conduziu, levou e bateu, mas muito mal, para fora.


O Grêmio construía e entrava na área como queria. Aos 10 minutos, chegou ao 2 a 0. Jean Pyerre cobrou escanteio, a zaga cortou mal e ele mesmo pegou a sobra. Pelo lado, driblou um adversário e serviu Leonardo, que fechava pelo meio. A batida de primeira superou Ledesma.


Cansado, Tardelli foi o primeiro a ser substituído. Em seu lugar entrou Alisson, cotado originalmente para ser titular. A segunda troca também teve componente físico: Maicon saiu, Thaciano ingressou.


A essa altura, o que importava era administrar. De preferência, sem correr riscos. A única chance que teve o Rosario foi um cabeceio de Herrera que Paulo Victor defendeu. De resto, as atenções se voltavam para os fones de ouvido. Quanto menos a central de esportes interesse, melhor. A última troca foi Jean Pyerre por Rômulo. O menino foi aplaudido de pé. 


Aos 37, a festa teve o penúltimo momento. Leonardo ajeitou e soltou o pé: goleada, 3 a 0. Ainda deu tempo de Aguirre descontar para o Central, mas nada que afetasse a projeção gremista.


O final de tudo veio quando o Libertad matou o jogo no Chile e devolveu, definitivamente, o sonho do tetra ao Grêmio.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer