Publicidades

22/08/2014 | 07:55 | Geral

Ganhador da Mega Sena ainda não retirou o prêmio de R$ 29,2 milhões

Veja o que poderia ser feito com o dinheiro do prêmio que está há 22 dias parado

Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS


Nas três últimas semanas, o Diário Gaúcho acompanhou o drama dos moradores que foram removidos das imediações do Arroio Cavalhada, no Bairro Cristal, e a decepção dos tradicionalistas pelo cancelamento do desfile farroupilha temático, por falta de patrocínio, entre outros assuntos que envolvem valores e necessidade de investimentos.


Enquanto isso, no mesmo período, R$ 29,2 milhões permaneceram parados, sem qualquer tipo de aplicação, na Caixa Econômica Federal. O valor corresponde ao prêmio da Mega-Sena que saiu para um apostador de Porto Alegre, que acertou sozinho as seis dezenas (10, 22, 24, 38, 39 e 49) no dia 30 de julho. Até ontem, o dinheiro não havia sido retirado.


No Bairro São Geraldo, nas imediações da Lotérica Minilu, onde a aposta foi feita, o prêmio é assunto diário em forma de boatos, especulações e piadas.


- Todos os dias, me perguntam se o ganhador apareceu ou não - conta o proprietário da lotérica, Jairo Anselmini, 46 anos, admitindo que o movimento cresceu nesse período.


Sortudo não apareceu


Independentemente da forma como o caso é tratado, o certo é que todos estranham o fato de, decorridos 22 dias desde o sorteio, o misterioso milionário não tenha ainda resgatado a sua fortuna.


Para se ter uma ideia do quanto representa o montante até então não reivindicado, o DG fez algumas comparações. Por exemplo: o viaduto Abdias Nascimento, construído nas proximidades do Estádio Beira-Rio, custou R$ 26,6 milhões. O prêmio pagaria toda a obra e ainda restariam R$ 2,6 milhões. Na área do esporte, o salário do atacante Robinho, contratado pelo Santos, é de R$ 500 mil. O ganhador da Mega-Sena poderia pagar quase cinco anos de contrato do craque.


Num cálculo aproximado, o valor do prêmio estaria rendendo, na poupança, cerca de R$ 5 mil por dia e R$ 150 mil por mês. Proporcionalmente (uma vez que a poupança é mensal), o sortudo (ou azarado, caso não tenha como resgatar a premiação), em 22 dias já abriu mão de cerca de R$ 110 mil. A julgar pela opinião das ruas, com o dinheiro parado, famílias e instituições estão deixando de ser ajudadas.


Prêmios não retirados


-Pelas regras das loterias da Caixa Federal, o apostador tem 90 dias, contados da data do sorteio, para retirar o prêmio.


-Caso não retire no prazo, o prêmio será considerado prescrito.


-Prêmios prescritos de loterias da Caixa Federal são destinados ao Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies).


-Em 2012, R$ 198 mil em prêmios prescritos foram destinados ao Fies. Em 2013, o valor subiu para R$ 256,6 mil. 


-Se os R$ 29,2 milhões não forem retirados, somente com este prêmio, em 2014 haveria um aumento de 11.379,5% de aplicação no Fies, em relação ao ano anterior.


Fala, povo!


O que você faria com os R$ 29,2 milhões?


-Ajudaria minha família e muitas pessoas necessitadas.


Nelson Rogério Gehrat, 47 anos, metalúrgico - Porto Alegre


- Ajeitaria a minha vida e ajudaria o próximo.


Fernanda Souza, 35 anos, secretária - Porto Alegre


- Nem sei o que pensar, mas, com certeza, faria muita coisa boa.


Edite Silva, 50 anos, recepcionista - Porto Alegre


Comparações


O que daria para fazer com os R$ 29 milhões em relação a problemas, projetos e obras noticiados nas últimas três semanas:


Ostentação: R$ 56 mil é o valor da moto F3 800 da MV Agusta, que está chegando ao Brasil (seria possível comprar 521).


Educação: R$ 14,32 mil é o custo do projeto necessário para resolver o problema de iluminação na Escola Estadual de Ensino Médio Raul Pilla, na Restinga, que está deixando 1,28 mil alunos no escuro (seria possível fazer mais de 2 mil consertos iguais).


Esportes: R$ 500 mil é o salário do Robinho, contratado pelo Santos (pagaria o craque por 58 meses)


Moradia: R$ 65 milhões é o valor para a execução do projeto das novas moradias para realocar cerca de 700 famílias atingidas pelas obras do Programa Integrado Socioambiental (Pisa), no Bairro Cristal. O prêmio pagaria 44% da obra.


Saúde: R$ 2 milhões é o valor mensal previsto para viabilização do plano que prevê que dez leitos do Hospital Parque Belém, na Zona Sul da Capital, sejam utilizados para pacientes encaminhados pelo Samu. O prêmio garantiria 14 meses do plano.


Mobilidade: R$ 20,43 milhões foi o custo do viaduto da Julio de Castilhos, R$ 26,6 milhões do viaduto Abdias Nascimento (Pinheiro Borda), R$ 24 milhões do corredor da Avenida Padre Cacique, R$ 5 milhões do corredor da Avenida João Pessoa, R$ 16,6 milhões do corredor da Avenida Protásio Alves e R$ 10,9 milhões do corredor da Avenida Bento Gonçalves. o prêmio pagaria uma ou mais obras.


Revitalização: R$ 57,4 milhões será o custo da reurbanização da Orla do Guaíba. A bolada pagaria a metade da obra. 


Tradição: R$ 600 mil faltam para a realização dos desfiles farroupilhas temáticos, que tem um custo total de R$ 1,1 milhão. Com o prêmio, daria para pagar 26 desfiles.


Economia: R$ 5 milhões é o total de dívidas trabalhistas de uma rede de lojas gaúcha que entrou em recuperação judicial. Daria para pagar quase seis vezes o valor devido a funcionários. 

Fonte: Zero Hora

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer