Publicidades

19/08/2020 | 22:36 | Esporte

Com dois de Galhardo e um de Musto, Inter goleia Atlético-GO no Beira-Rio

Equipe de Eduardo Coudet segue entre os líderes na tabela do Brasileirão

Mateus Bruxel / Agencia RBS


Não foi só o lado que mudou no intervalo de Inter x Atlético-GO. Depois de um primeiro tempo frio como a noite do Beira-Rio, o time de Eduardo Coudet voltou aceso do vestiário, sufocou o adversário mesmo com um jogador a menos por mais de meia hora após a expulsão de Pottker e goleou os goianos por 3 a 0, com dois gols de Galhardo e um de Musto. No sábado, tem jogo de líderes contra o Atlético-MG.


Eduardo Coudet mexeu em meio time. Do "novo" Inter, havia cinco "titulares": Marcelo Lomba, Zé Gabriel, Cuesta, Patrick e Pottker. Os demais foram Rodinei, Matheus Jussa (como lateral-esquerdo), Musto, Praxedes e João Peglow. 


O Atlético-GO começou assustando. Aos quatro minutos, um lançamento em profundidade encontrou Matheuzinho, no meio da defesa do Inter, mas ainda dentro do círculo central. Ele recebeu, percebeu Marcelo Lomba adiantado e encobriu o goleiro em um chute de 40 metros. A bola entrou, mas o atacante estava impedido.


Depois de 20 minutos em que o único lance de área foi um cruzamento de Peglow que Praxedes desviou para fora, o Inter fez o goleiro adversário trabalhar. Novamente Peglow avançou pela esquerda e cruzou. Marcos Guilherme pegou de primeira e quase marcou por cobertura. 


Aos 28, em novo contra-ataque, Matheuzinho foi lançado nas costas da defesa. Lomba saiu de carrinho e dividiu com o atacante. A bola rebateu nele e passou lentamente ao lado da trave. Pottker, aos 30, respondeu trazendo da direita para o meio e batendo forte, Jean espalmou. 


O Atlético ainda levou perigo em outro lance de impedimento, e que teve um gol inacreditavelmente perdido por Matheuzinho, sem goleiro. Mas Hyuri estava adiantado na origem do lance. 


Os dois times foram para o vestiário e voltaram sem alterações. O que mudou foi a postura do Inter. A equipe de Coudet resolveu partir para cima do Atlético-GO e pressionar o adversário. Sem espaço nem para respirar, o time goiano se limitava a afastar para fora do campo qualquer bola que se oferecia na área. Em uma dessas, escanteio, aos sete minutos. Marcos Guilherme cobrou em curva, Musto se antecipou e, de cabeça, venceu Jean: 1 a 0.


A partida estava boa para o Inter até os 12 minutos, quando uma confusão na lateral mexeu com tudo. Everton Felipe se desentendeu com Peglow após uma falta. Formou-se um bolinho de jogadores. O árbitro deu cartão amarelo ao jogador do Atlético-GO. Eis que Pottker, em um destempero, agrediu Edson, em frente ao juiz (e a Eduardo Coudet, que se desesperou, levando as mãos à cabeça). Cartão vermelho ao atacante colorado. 


Ato contínuo, Coudet mexeu no time: entraram Edenilson e Galhardo, saíram Praxedes e Peglow. Um pouco mais de experiência e força seriam importantes para segurar a vantagem.


Nem precisou. O Inter manteve o ímpeto mesmo com um jogador a menos e conseguiu ampliar. Aos 24, Patrick fez uma bela jogada pelo lado esquerdo, entortou o zagueiro e deu uma cavadinha. A bola pegou no travessão e se apresentou para Galhardo estufar a rede: 2 a 0.


A partir daí, a partida ficou mais tranquila para o Inter. Coudet fez mais duas trocas: saíram, exaustos, Marcos Guilherme e Patrick, entraram Lindoso e Moisés. 


Aos 40, quando já administrava o placar sem sustos, o Inter ainda teve a chance de aumentar. Galhardo foi lançado na área e foi derrubado pelo goleiro Jean. Pênalti. O próprio Galhardo cobrou e botou no ângulo, 3 a 0.


Goleada, resposta imediata após um mau resultado e garantia de mais alguns dias na ponta de cima da tabela. Tranquilidade para trabalhar e reforçar o grupo, com Alexandre Pato.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer