Publicidades

13/09/2020 | 20:20 | Esporte

Inter perde para o Goiás fora de casa, mas mantém liderança do Brasileirão

Colorado teve um jogador a mais desde os quatro minutos de partida, quando Jefferson foi expulso por falta violenta em Marcos Guilherme

Ricardo Duarte / Internacional / Divulgação


O cenário era todo favorável ao Inter: adversário lanterna do Brasileirão, pressão quase insustentável e um jogador a mais desde o início. Mas deixar pontos em partidas assim tem sido uma especialidade colorada nos últimos anos e, neste domingo (13), não foi diferente. O time gaúcho não soube furar a retranca e perdeu para o Goiás por 1 a 0 na Serrinha, em Goiânia. O resultado ainda mantém o time na liderança, mas a distância para os demais está cada vez menor. 


Eduardo Coudet pensou na sequência de jogos e na retomada da Libertadores, daqui a três dias, para montar seu time. Suspensos do compromisso pela competição sul-americana, Cuesta, Moisés, Musto, Edenilson, Praxedes e Marcos Guilherme foram titulares. A eles, juntaram-se Abel Hernández, que fez sua estreia como titular, Pedro Henrique (também estreante no Brasileirão), D'Alessandro, Rodinei e, claro, Marcelo Lomba. No Goiás, o pressionado Thiago Larghi mandou a campo dois conhecidos da torcida colorada: Rafael Moura e Sandro, manteve Edilson na lateral direita e montou um trio ofensivo com o He-Man, Vinícius Lopes e Keko.


Só que qualquer estratégia que o treinador do Goiás tenha pensado para seu time foi por água abaixo no primeiro minuto de jogo. Marcos Guilherme avançou pela direita e tentou um cruzamento, que não deu em nada. Mas para impedir o passe, o lateral-esquerdo Jefferson deu um carrinho-voadora, atingiu a canela do atacante colorado. O árbitro assinalou o cartão amarelo. O VAR chamou, Flávio Rodrigues de Souza foi rever e trocou a cor: vermelho para o jogador do Goiás. Seria, realmente, o jogo inteiro com um a mais para o Inter. Cenário bem semelhante ao do ano passado, quando o time gaúcho fez o gol no  momento em que os goianos ficaram com um a menos, mas acabou levando a virada.


Larghi sacrificou Keko e recompôs a lateral com Caju. Marcos Guilherme também não conseguiu voltar, após a pancada, Boschilia foi para seu lugar.


A semelhança para 2019 se deu pela forma que o jogo se desenhou. O Goiás decidiu fechar a casinha. Montou duas linhas de quatro jogadores bem próximas à área e não dava brechas ao Inter, que, por sua vez, trocava passes burocráticos entre zagueiros e volantes. Se existia o objetivo de abrir ou bagunçar a defesa, a lentidão facilitava o trabalho dos donos da casa. 


O Goiás, aliás, quase perdeu outro jogador. Rafael Moura chutou o rosto de Musto em uma dividida pelo ar. O árbitro, desta vez, preferiu não mostrar o cartão vermelho. 


Lento para criar jogadas, o Inter ainda correu riscos. Em um contra-ataque, Vinícius Lopes conseguiu ingressar na área colorada, mas foi desarmado por Moisés na hora da conclusão. 


O time de Coudet foi fazer sua primeira conclusão mais perigosa com D'Alessandro batendo falta pela direita, por cima do travessão. Depois, em jogada de escanteio, já aos 35, enfim criou uma chance clara. Praxedes cruzou, Abel Hernández dividiu com o zagueiro, a bola sobrou para o uruguaio, livre, mas ele chutou fraquinho, nas mãos de Tadeu. Aos 43. D'Alessandro cobrou falta para a área, Edenilson desviou, para fora.


No lance seguinte, o pior cenário possível. Um balão para a área do Inter não foi afastado pela defesa. A bola ficou quicando e Vinícius bateu. A bola nem foi forte, mas foi no canto. Mesmo assim, Lomba chegou, mas não conseguiu defender: Goiás 1 a 0.


Coudet voltou do intervalo com seu goleador. Thiago Galhardo, preservado para o jogo da Libertadores, entrou no lugar de Praxedes. O Inter começou um pouco mais veloz, ao menos ensaiando uma pressão, diferente do que fez no primeiro tempo. 


Era uma pressão meio desorganizada, à base de cruzamentos, mas ao menos fazia a bola rondar a área do adversário. Cuesta, principalmente, era quem fazia os melhores levantamentos, mas faltava aproveitar. Aos 18, um desses lances quase virou gol.  D'Alessandro ergueu para a área, Cuesta cabeceou e Tadeu fez grande defesa. 


Na metade do segundo tempo, Coudet fez mais duas trocas: D'Alessandro e Pedro Henrique saíram, entraram Lindoso e o estreante Leandro Fernández. Logo na sequência, Abel Hernández perdeu outra chance inacreditável. Após cruzamento da direita, ele, livre, pegou de tornozelo, para o lado. A bola respingou em David Duarte e passou perto da trave.


O Inter até conseguiu fazer um gol, quando Galhardo arrancou e serviu Abel Hernández, que concluiu para a rede. Mas o goleador do Brasileirão estava impedido na origem do lance. 


Nos minutos finais, Moledo entrou no lugar de Rodinei. O zagueiro foi fazer função de centroavante, já que o time passou erguendo bolas para a área.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer