Publicidades

22/09/2020 | 06:02 | Saúde

RS tem quatro regiões em bandeira vermelha no mapa do distanciamento controlado desta semana

Cruz Alta, Novo Hamburgo, Porto Alegre e Santo Ângelo foram classificadas como de alto risco para o coronavírus

Obs.: bandeiras referentes ao período de 22 a 28 de setembro


Após a análise de recursos, quatro regiões gaúchas foram classificadas em bandeira vermelha, que representa risco epidemiológico alto para o coronavírus: Cruz Alta, Novo Hamburgo, Porto Alegre e Santo Ângelo. O mapa do modelo de distanciamento controlado do governo do Estado foi divulgado nesta segunda-feira (21).


As outras 17 regiões estão em bandeira laranja, de risco médio. O mapa vale a partir desta terça-feira (22) até a próxima segunda (28).


Conforme o Executivo estadual, oito pedidos de reconsideração, enviados por associações de municípios e regiões, foram analisados. O gabinete de crise do governo deferiu o pedido de reconsideração da região de Guaíba. As regiões de Novo Hamburgo, Santo Ângelo e Cruz Alta tiveram seus recursos indeferidos. 


Dessa forma, são 58 municípios gaúchos sob a cor vermelha, o que corresponde a 31,8% da população gaúcha (3.602.469 habitantes). Desse total, 19 municípios não tiveram registro de hospitalização e óbito por covid-19 de morador nos 14 dias anteriores ao levantamento — equivalente 0,9% da população gaúcha (104.037 habitantes).


As quatro regiões em vermelho atuam sob o modelo de gestão compartilhada, com protocolos próprios definidos e aprovados pela Estado.


Estão sob a bandeira laranjas as regiões de Bagé, Cachoeira do Sul, Canoas, Capão da Canoa, Caxias do Sul, Erechim, Guaíba, Ijuí, Lajeado, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Taquara e Uruguaiana.


Das 21 regiões covid no Estado, apenas quatro não aplicam protocolos próprios por meio do sistema de cogestão: Uruguaiana, Bagé, Guaíba e Santa Maria. Essa última região,  no entanto, enviou, no sábado (19), pedido que segue em análise. 


As regiões classificadas em laranja podem adotar protocolos flexíveis, desde que não menos restritivos do que os de bandeira amarela.

Fonte: Gaúcha ZH

Mais notícias desta categoria

Publicidades


Mario Junior designer